sábado, 17 de janeiro de 2015

Sensor de som criado por brasileiros ajuda pessoas com deficiência visual

Por meio de avisos sonoros, protótipo desenvolvido por pesquisadores brasileiros tem como objetivo dar mais autonomia à portadores de deficiência visual.

Pesquisadores do Núcleo de Apoio à Pesquisa em Software Livre (NAP-SoL), sediado na USP de São Carlos, desenvolveram um protótipo de sistema que utiliza o som para sinalizar obstáculos.
A ferramenta tem como objetivo ajudar na locomoção e dar uma maior autonomia a portadores de deficiência visual. As informações são da Agência USP de Notícias.
Batizado de GuideMe, o software funciona em um dispositivo pequeno, ajustável à roupa. A tecnologia utiliza a visão computacional por meio de uma webcam tradicional e algoritmos de processamento de imagem capazes de identificar a presença e a aproximação de pessoas.
Baseada na psicoacústica – estudo da relação entre estímulos sonoros e suas sensações decorrentes – e sensores de ultrassom para localizar obstáculos, o GuideMe produz um som que aparenta surgir da direção e da distância em que está o obstáculo.
Por meio de fones de ouvido, o sistema estabelece comunicação com o usuário tanto verbalmente, com o uso de um sintetizador de voz, quanto por meio de sons tridimensionais.
A expectativa é que o sensor, já em sua especificação completa, utilizará sensor GPS, bússola e conexão wireless para prover auxílio à locomoção em áreas abertas.
O objetivo inicial do projeto foi de aperfeiçoar os algoritmos que utilizam processamento espacial e de imagem. O protótipo atual foi produzido em um equipamento de hardware fornecido pela empresa de tecnologia Intel.

O protótipo desenvolvido ainda alcançou o primeiro lugar no II Concurso Intel de Sistemas Embarcados realizado durante o IV Simpósio Brasileiro de Engenharia de Sistemas Computacionais (SBESC).
(IDG NOW)