sábado, 10 de janeiro de 2015

Novo pendrive da Intel transforma qualquer TV em PC Windows ou Linux

Mas seguimos sem saber se novidade é apenas mais um experimento da empresa ou realmente o "próximo PC". Produto foi anunciado durante a CES 2015.



A ideia de colocar um sistema em um pendrive não é exatamente nova – o Windows to Go era mais direcionado para trabalhadores remotos, por exeplo. Mas a mais recente tentativa da Intel é uma mistura curiosa de hardware intrigante com algumas limitações.A Intel usou a CES 2015 para mostrar o seu novo e ainda inédito “Compute Stick”, um pendrive maior do que o normal feito para rodar o Windows 8 ou o Ubuntu Linux quando plugado em um monitor ou PC por meio de uma entrada HDMI.

Fisicamente, o Compute Stick é construído em torno do processador quad-core Atom Z3735F Bay Trail de 1.86Mhz com a versão do Windows (preço sugerido de 129 dólares) vindo com 2GB de RAM e 12GB de armazenamento. Em termos de processamento, é uma espécie de mistura entre um tablet e uma set-top box.
A versão para Ubuntu se vira com apenas 1GB de RAM e um armazenamento de 8GB, mas com o bônus de custar menos (89 dólares) – como o Linux sempre vence em questões financeiras. Uma entrada para MicroSD permite que o armazenamento seja aumentado, caso necessário.
A unidade ainda possui uma entrada micro-USB do mesmo lado que traz a chave de ligar e uma entrada USB de tamanho normal. Também estão embutidos as conectividades WiFi (802.11n) e Bluetooth.
Como muitas pessoas notaram na CES 2015, a ausência de entradas é uma limitação para qualquer aparelho que queira ser chamado de um PC completo. A Intel espera conseguir conectar o Compute Stick por meio do conector HDMI no futuro, o que parece uma dica para os consumidores finais esperarem pela segunda versão do produto.
A Intel possui um histórico de aparecer com maneiras inteligentes de “embalar” o seu poder de processamento em pacotes inesperados que não acabam ficando terrivelmente importantes. 
Aliás, lembra do NUC (Next Unit of Computing)? Coincidentemente, a Intel lançou a segunda versão dessa plataforma, com mais processadores Broadwell. Então talvez o produto tenha um futuro, afinal de contas.
Para ser justo, o objetivo da Intel com esses produtos não é criar tanto um mercado quanto é estimular outras empresas a continuarem esse trabalho. 
Segundo a Intel, o Compute Stick começa a ser vendido nos EUA no próximo mês de março.
(IDG NOW)