domingo, 5 de janeiro de 2014

Cinco maneiras para você "burlar" as armadilhas dos agrotóxicos nos alimentos

Já é comprovado que os agrotóxicos, também conhecidos como pesticidas ou "defensivos agrícolas", causam problemas para a saúde do homem e do meio ambiente como um todo. Mulheres grávidas, por exemplo, correm o risco de gerarem bebês com autismo, distúrbio de déficit de atenção, dificuldade de aprendizagem e até problemas de desenvolvimento físico. Já o meio ambiente pode ser afetado no que diz respeito a biodiversidade, como no declínio de anfíbios, só para citar alguns exemplos.


Mas o que fazer para burlar a presença dos agrotóxicos nos alimentos? Por vezes não há como identificar quais frutas e verduras têm resquícios dessas substâncias nocivas, porém existem formas de evitar o consumo desses produtos.

1. Optar por orgânicos

moprango.jpg
Foto: @Cristianhold

Os alimentos orgânicos são todos aqueles produzidos em sistemas que não utilizam agrotóxicos ou insumos artificiais em sua produção, como inseticidas, herbicidas, fungicidas, nematicidas ou adubos químicos. Por conceito, eles também não podem ser organismos geneticamente modificados (OGM), como os transgênicos.

Um alimento orgânico segue alguns critérios de produção diferentes do processo tradicional utilizado na agricultura de hoje em dia. Nesse método tudo é planejado e controlado de forma a causar o menor impacto nos recursos naturais, gerar alimentos de melhor qualidade e valorizar a comunidade produtora. (Saiba mais no Guia do Alimento Orgânico)

2. Comprar alimentos em feiras locais

horta.jpg
Foto: organicosdopivas

Esses alimentos são, geralmente, produzidos por pequenos produtores e suas famílias. Seu cultivo é feito em pequena escala e, por isso, muitas vezes dispensa o uso de agrotóxicos. Além disso, eles são mais frescos do que os encontrados no supermercado e não são comercializados cheios de embalagens e produtos químicos que prolongam sua durabilidade. A prática é boa para a saúde e envolve a responsabilidade socioambiental, pois movimenta a economia local. 

3. Monte sua horta

simplificando.jpg
Foto: Clara Corrêa/Simplificando

Cultivar uma horta orgânica, independente do tamanho e da variedade de alimentos plantados, é sempre bom. Bom para a saúde e o bem-estar da família, que irá ingerir alimentos mais saudáveis e livres de agrotóxicos, e também para o meio ambiente, que deixará de receber produtos químicos e de ter seus recursos naturais, como solo e água, explorados de forma insustentável. Fazer uma horta em casa aumenta o seu contato com a natureza e economiza nas feiras e supermercados. (Aprenda a fazer uma horta orgânica dentro de casa!)

4. Cuidado ao manusear os alimentos

frutas.jpg
Foto: aetches

O primeiro passo é procurar saber quais são os alimentos que possuem mais ou menos agrotóxicos. Segundo uma pesquisa do Environmental Working Group, os alimentos mais afetados por pesticidas ou agrotóxicos durante o seu cultivo são: maçã (por ser considera oca, por isso, evite frutas ocas), morango, uva, batata, pêssego, couve, espinafre, salsão, nectarina, pimentão, mirtilo, alface, couve-galega e leite.

Já a lista que contém menos agrotóxicos em seu cultivo, ainda de acordo com a pesquisa, incluem: cebola, abacaxi, aspargo, abacate, repolho, meloa, milho, berinjela, toranja, kiwi, manga, cogumelo, mamão, batata doce, melancia e ervilhas congeladas.

A segunda preocupação deve ser a lavagem dos alimentos - lavar bem as frutas e verduras não eliminará os agrotóxicos e pesticidas, mas melhorará a situação -, por isso, lave-os como se estivesse limpando as mãos e, se possível, utilize uma escova durante o processo.

5. Filtre ou ferva a água da torneira antes da ingestão

agua.jpg
Foto: SammCox

Um estudo da American College of Allergy, Asthma & Immunology apontou que parte das intoxicações alimentares provém da água da torneira, que possui pesticidas como o composto dicholorphenols (também utilizado em herbicidas e desinfetantes). Por isso, evite consumir água da torneira.

(ECOD)