sábado, 28 de setembro de 2013

Número de paulistanos dispostos a não usar o carro chega a 61%

A Rede Nossa São Paulo e o Ibope lançaram na segunda-feira, 16 de setembro, os resultados da sétima edição da pesquisa sobre Mobilidade Urbana

 sp-ecod.jpg
Número de paulistanos em 2012 dispostos a não usar o carro caso houvesse uma boa alternativa de transporte público era de 44%. Na foto, a linha azul do Metrô de SP
Foto: Bruno Soares

O levantamento inédito aborda os mais diversos aspectos da mobilidade em São Paulo, como o tempo gasto no trânsito, a frequência com que os paulistanos utilizam o transporte público, a satisfação com o transporte coletivo e o uso do carro. Foram ouvidas 805 pessoas entre dos dias 20 e 27 de agosto. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

A sétima edição tem como novidades questões relacionadas às manifestações realizadas em junho em todo o Brasil. Os entrevistados se posicionaram a respeito das novas faixas exclusivas para ônibus, as medidas anunciadas pelos governos pós-protestos, a tarifa zero e, ainda, a proposta que visa utilizar o imposto sobre a gasolina para reduzir o valor da passagem do transporte público.

Entre as principais conclusões da pesquisa estão:

- 27% dos entrevistados utilizam carro todos os dias. Em 2012, eram 23%;


- “Saúde” continua sendo a área mais problemática da cidade desde 2008. O item é seguido por “Educação” e “Segurança Pública”. “Trânsito” e “Transporte Coletivo” ficaram, respectivamente, em 4º e em 5º lugar;



- Para 91% dos entrevistados a poluição é um problema “grave” ou “muito grave” em São Paulo;



- O trânsito na cidade é “ruim” ou “péssimo” para 69% dos entrevistados;



- O paulistano gasta, em média, 2h15 minutos no trânsito, todos os dias;



- Aumenta o número de paulistanos dispostos a não usar o carro caso haja uma boa alternativa de transporte público. Em 2012, 44% deixariam o transporte privado “com certeza”. Em 2013, o número saltou para 61%;
- O interesse pelas ciclofaixas de lazer diminuiu. Em 2012, 67% afirmaram que usariam as faixas exclusivas para bicicletas aos domingos e feriados. Neste ano, 60% disseram ter interesse em participar;



- As recentes faixas exclusivas para ônibus foram totalmente aprovadas pelos entrevistados: 93% disseram ser a favor da medida;



- Aumenta a aprovação dos paulistanos às medidas polêmicas para melhorar o trânsito na cidade, como pedágio urbano (de 17% em 2012 para 27% em 2013); rodízio de dois dias (de 37% em 2012 para 49% em 2013) e até multa para pedestres (de 34% em 2012 para 54% em 2013);



- Sobre as recentes manifestações realizadas em todo o país, 58% disseram ser favoráveis, desde que não haja prejuízo ao trânsito. E 34% são a favor mesmo que provoquem interrupções e congestionamentos na cidade;



- A respeito do custo do transporte público, 56% defenderam “tarifa intermediária”(meia tarifa paga pelo usuário e o restante, pelo governo); 34% são a favor da “tarifa zero”(totalmente custeada pelo governo) e 7% optaram pela “tarifa cheia” (totalmente paga pelo usuário);



- Ainda sobre “tarifa zero”, 46% disseram ser uma medida “possível e viável” para todos. Para 29%, o benefício deveria valer somente para estudantes e desempregados. E 21% acham que é inviável;



- Do total de entrevistados, 53% se manifestaram contra o aumento do preço da gasolina para subsidiar a redução da tarifa e 45% são a favor. Entre os que não utilizam carro, o resultado é o inverso: 53% a favor e 41% contra.



(ECOD)