domingo, 26 de fevereiro de 2017

Publicação relaciona consumo de carne à pobreza e a mudanças climáticas

O Atlas da Carne, publicação internacional lançada em português na quinta-feira, 29 de setembro, na cidade de São Paulo, mostra como a produção em escala industrial e o consumo de carne tem impactado direta ou indiretamente no aumento da pobreza e da fome e nas mudanças climáticas, além de provocar deslocamentos e migrações de populações.

atlas-ecod.jpg
Você sabe de onde vem o bife, a salsicha ou o hambúrguer que você come?
Foto: Fundação Heinrich Böll

“O atlas é para informação, conscientização e debate político. Ele mostra o que é essa cadeia global da carne, porque que ela é uma cadeia insustentável”, disse à Agência Brasil a organizadora da versão brasileira do Atlas, Maureen Santos.

Segundo o Atlas, se o consumo de carne continuar crescendo no atual ritmo, em 2050 os agricultores terão que produzir 150 milhões de toneladas a mais do que atualmente. No Brasil, isso pode significar um problema: a criação de gado é a atividade econômica que ocupa a maior superfície do território nacional: 172 milhões de hectares. Sua expansão é um dos maiores responsáveis pelo desmatamento em diversos biomas.

A publicação foi originalmente publicada na Alemanha pela Fundação Heinrich Böll. O Atlas em português pode ser baixado gratuitamente em http://br.boell.org.

(Fonte: ECOD)