terça-feira, 15 de novembro de 2016

Para combater desperdício, supermercado que só vende alimentos 'vencidos' é inaugurado na Dinamarca

Diariamente, 800 milhões de pessoas vão dormir com fome em todo o mundo, segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU). 

wefood-ecod.jpg
Loja vende produtos com prazo de validade já vencido mas que ainda são apropriados para o consumo
Fotos: Divulgação/BBCBrasil.com

Ao mesmo tempo, só na Dinamarca, cerca de 700 mil toneladas de alimentos por ano vão para o lixo. Para auxiliar no combate ao desperdício, foi inaugurado em Copenhague o primeiro supermercado dedicado exclusivamente à venda de alimentos que seriam jogados fora - ou seja, aqueles produtos com prazo de validade já vencido, mas que ainda são apropriados para o consumo.

De acordo com informações da BBC Brasil, o Wefood foi inaugurado na capital dinamarquesa pela princesa Marie e a ministra do Meio Ambiente e Alimentação, Eva Kjer Hansen. A iniciativa, cujo propósito é combater o desperdício, é de uma organização não governamental. A ONU calcula que pelo menos um terço dos alimentos produzidos no mundo é jogado fora a cada ano.

"É talvez o primeiro supermercado do gênero no mundo", destacou à BBC Brasil o dinamarquês Per Bjerre, da ONG responsável pelo Wefood, a Folkekirkens Nødhjælp. O empreendedor faz questão de destacar que não se trata de um "supermercado social", destinado a pessoas de baixa renda.


O interesse dos dinamarqueses pela novidade já é, segundo Per Bjerre, evidente. "Vendemos praticamente todo o nosso estoque no primeiro dia de funcionamento", disse ele. "E há filas do lado de fora do supermercado antes de abrirmos as portas.""Os clientes são de várias camadas da sociedade, e têm em comum o desejo de comprar produtos a preços substancialmente menores e combater o desperdício de alimentos. Além, talvez, do desejo de lutar contra a pobreza, que está entre os motivos da abertura do Wefood."


Data de validade


Com um espaço de 250 metros quadrados, o novo supermercado oferece uma variedade de produtos que inclui laticínios, carnes, frutas, vegetais, pães e alimentos congelados que já ultrapassaram a data de validade recomendada nas embalagens. Os preços são entre 30 a 50% mais baixos em comparação ao que é cobrado nos supermercados tradicionais.


Para suprir as prateleiras, o Wefood opera em cooperação com duas das maiores cadeias dinamarquesas de supermercado, a Føtex e a Danske Supermarked, além de mercados locais.

"E estamos buscando mais fornecedores", diz Per Bjerre.

wefood2-ecod.jpg


Todos os funcionários do Wefood trabalham de forma voluntária, e os lucros serão destinados a projetos de combate à pobreza conduzidos pela ONG Folkekirkens Nødhjælp em regiões como a África e a Ásia.

"Quando há frutas já em vias de apodrecer em uma caixa, é mais barato para os supermercados jogar toda a caixa fora, em vez de gastar tempo selecionando as frutas boas e ruins. Mas os voluntários do WeFood fazem esse trabalho com prazer", explica Bjerre.

Entre as razões apontadas para o desperdício mundial de alimentos, estão as condições inadequadas de armazenamento - e também a adoção de prazos de validade demasiadamente rigorosos.

Financiamento coletivo


A inauguração do supermercado foi resultado de um projeto que levou um ano para ser concretizado, e que foi viabilizado através do sistema de financiamento coletivo conhecido como crowdfunding.


A coleta de doações reuniu um milhão de coroas dinamarquesas (cerca de US$ 145 mil). A fim de superar obstáculos legais para a venda de produtos com prazo de validade vencido, a ONG Folkekirkens Nødhjælp trabalhou junto a políticos dinamarqueses para mudar as regras. Só depois disso, o supermercado pôde abrir as portas.

Projeções da ONU indicam que a população mundial deva chegar a 9,5 bilhões de pessoas até 2075 - o que vai significar três bilhões a mais de pessoas para alimentar.

(Fonte: ECOD)