segunda-feira, 4 de maio de 2015

Alemães utilizam apenas água e ar para produzir diesel limpo

Lembra dos 7 a 1 pela semifinal da Copa do Mundo realizada no Brasil? Não é só nos gramados que os alemães tem goleado a gente, mas também quando o assunto é o desenvolvimento de novas tecnologias para a sustentabilidade. 

diesel1-ecod.jpg
A ministra Johanna Wanka põe cinco litros de e-diesel no tanque de seu carro oficial
Fotos: Divulgação
No centro de pesquisas de Dresden, por exemplo, foi elaborado o primeiro lote do "e-diesel", um tipo de diesel sintético feito a partir de água e ar.

Na usina piloto da Audi em Desden, todo o processo é tocado por energia elétrica obtida por geração eólica ou solar. Em um tanque, a 800°C, é feita a eletrólise da água, que é decomposta em oxigênio (liberado na atmosfera) e hidrogênio (enviado a um reator).

Ao mesmo tempo, filtros especiais de ar capturam moléculas de dióxido de carbono no meio ambiente. É o conhecido gás carbônico ou CO2 (apontado como um dos grandes vilões do efeito estufa). O CO2 é então enviado para o mesmo reator que o hidrogênio.


Limpo e eficiente


Funciona assim: o gás de síntese resultante da mistura do dióxido de carbono com o hidrogênio é, então, processado em duas etapas (usando alta pressão e alta temperatura). O resultado da reação é um líquido que os pesquisadores chamam de "Blue Crude", comparável ao óleo cru - ou petróleo em estado natural.

Para ser usado em motores, o "Blue Crude" é levado a uma refinaria e transformado em e-diesel, um combustível com balanço de carbono neutro. Os criadores dizem que, além de limpo, o e-diesel tem muito mais eficiência energética do que combustíveis fósseis.

O método tem tudo para agradar aos ambientalistas: dispensa o uso de combustíveis fósseis, captura COda atmosfera e resulta numa queima mais limpa, já que o e-diesel não contém enxofre ou outros elementos contaminantes.


ediesel-ecod.jpg
Blue Crude pode vir a ser uma revolução no campo dos combustíveis renováveis

Alternativas


"O motor trabalha mais silenciosamente e há menos emissões de poluentes", destaca ao jornal O Globo Christian von Olshausen diretor técnico da Sunfire GmbH, empresa que desenvolve o processo para a Audi.


A Audi afirma que o e-diesel pode ser misturado a combustíveis fósseis ou usado como único combustível.

Johanna Wanka, ministra alemã da Educação e Pesquisa, colocou na semana passada cinco litros do e-diesel em seu carro oficial (um Audi A8) e declarou que o projeto é um sucesso. "Se conseguirmos ampliar o uso do CO2 como matéria-prima, daremos um passo importante para a proteção ao clima e ao uso eficiente de recursos", ressaltou a ministra.

fabrica-ecod.jpg
Fábrica em Desden tem pequeno porte. Uma maior deve ser construída

A Sunfire anuncia que produzirá 160 litros de e-diesel por dia em sua fábrica piloto. A meta da empresa é construir uma usina maior e poder vender cada litro por algo entre € 1 e € 1,20, dependendo da origem da energia elétrica usada (em grandes quantidades) no processo. Na Alemanha, o litro da gasolina comum sai por € 0,60.
O vídeo abaixo mostra como funciona a inovação:


ECOD