sexta-feira, 3 de abril de 2015

Empresas mineiras investem em economia de água e energia

Com a estiagem sendo motivo de preocupação em todo o país, algumas empresas e estabelecimentos comerciais de Uberlândia investem em formas de economizar água e energia, colaborando com o meio ambiente e otimizando os lucros.

placa-solar-ecod.jpg
Há um ano, 28 painéis capazes de gerar 9.500 kWh anuais foram instalados
Foto ilustrativa: Walmart


Em uma indústria de refrigerantes da cidade, onde são produzidos mais de 800 mil litros do produto por dia, uma das maiores preocupações é com o desperdício. Com isso, a empresa buscou investir em reaproveitamento. No local, até a água utilizada na limpeza dos tanques que guardam o líquido é reutilizada.

“Após a captação, o tratamento de água, já podemos contar com o próprio índice de ar da bebida que nós temos da garrafa pet. Hoje já estamos otimizando a água como forma de reuso, controlamos a base de liberação dos fluxos de carvão na própria estação de tratamento de água. Temos vários outros estudos, como a lavadora de garrafas retornáveis, para que possamos utilizar a própria água, do enxague final, e estar aproveitando o reuso dessa água na lavadora das garrafeiras, na própria linha de retornáveis”, explicou o supervisor de Meio Ambiente da Indústria, Toni Carlos de Oliveira.


“Podemos utilizar como fins não potáveis dentro da própria irrigação da empresa, da jardinagem. Também podemos utilizar na parte de sanitários, lavagem de pátios. Então, tudo isso são processos que já existem estudos e podemos otimizar para baixar ainda mais”, completou.Entre as metas da empresa, está a de produzir os refrigerantes utilizando a menor quantidade de água possível. Segundo Toni Carlos, 20% da água já é reutilizada na indústria e o próximo projeto é reaproveitar os efluentes da produção.


Água da chuva

Outra forma de economia, dessa vez encontrada por um shopping da cidade, foi aproveitar a água da chuva. O sistema foi implantado há mais de dois anos e a chuva que cai no telhado é estocada e tratada. Apesar de não ser potável, a água serve para abastecer os vasos sanitários e para regar os jardins.

agua-chuva-ecod.jpg
Apesar de não ser potável, a água serve para abastecer os vasos sanitários e para regar os jardins
Foto: Chiot's Run

Segundo o superintendente do shopping, Guilherme Marini, só em 2013 esse sistema foi responsável por uma economia de R$ 150 mil. “Temos o benefício de estar contribuindo para a preservação do meio ambiente, em uma atitude ambientalmente correta. Nós trazemos isso para os nossos lojistas e nosso público para também conscientizá-los e para que eles tenham também essa atitude tanto no dia a dia da sua operação, como em casa”, disse.

Energia solar

Além das formas de economia de água, investimentos também são realizados na economia de energia. Na cidade, uma empresa de telefonia apostou na energia solar para gastar menos e cuidar melhor do meio ambiente. Há um ano, 28 painéis capazes de gerar 9.500 kWh anuais foram instalados.

No local, a energia captada é conectada à rede pública e utilizada nos serviços de telefonia e internet da região. “Investir nesse tipo de energia é estar atento tanto à questão do fornecimento de energia, que é fundamental para o nosso negócio, quanto também da sustentabilidade. Um sistema como esse, que tem uma vida útil de até 40 anos, pode ser responsável por até 75% de economia no consumo de energia de uma estação telefônica como essa”, explicou a assessora de comunicação da empresa, Cristiana Heluy.

Ainda segundo ela, a empresa pensa em expandir o projeto. “É sempre pensar em como ter ambientes em que se necessite menos da climatização artificial, menos da iluminação artificial. Ter a questão da essência energética como uma preocupação no dia a dia dos negócios”, concluiu.

(Via G1 Triângulo Mineiro)