sexta-feira, 3 de abril de 2015

Empresa brasileira quer implantar primeiro Call Center e Data Center "verdes" da América Latina

A Algar Tech - empresa do grupo Algar que oferece soluções de TIC e BPO - anunciou que está investindo em um projeto de eficiência energética que utiliza a luz solar e permite gerar e consumir energia elétrica na própria organização. 

energia-solar.jpg
A empresa vai registrar, com o projeto, 450 MWh/ano de energia solar
Foto: Arlington County

Com esse movimento, a companhia terá o primeiro call center e data center sustentáveis da América Latina, por meio da geração de 5% da energia consumida anualmente, e uma economia de R$ 125 mil por ano.

Desenvolvido pela empresa Alsol Energias Renováveis para o data center localizado em Uberlândia (MG), cidade sede da Algar Tech, o projeto consiste em um sistema fotovoltaico composto por 1.230 módulos de 245Wp instalados no telhado da companhia, capazes de gerar 450 MWh/ano. O volume gerado poderia alimentar pelo menos 150 residências de consumo médio, ou seja, que atualmente registrem o valor de R$ 170 na conta mensal de energia.

100% de energia limpa

Para o presidente da Algar Tech, José Antônio Fechio, o pioneirismo da empresa ao investir em energia limpa vai ao encontro de um dos pilares da companhia, que é crescer de forma sustentável.

"A crise energética e o aumento significativo na tarifa de energia nos levou a buscar os recursos de forma eficiente e apoiar as fontes de energia renovável. Nossa meta é ter 100% dos data centers alimentados por fontes limpas", destacou Fechio.

A Algar Tech conta com dois data centers em Uberlândia e um em Campinas (SP).

450MWh/ano

Com o projeto, a empresa vai solicitar o Selo Solar – certificação do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal) que reconhece empresas, residências e instituições públicas e privadas que investem em eletricidade solar.

"Para ter o selo a edificação da Algar Tech enquadrada na classe tarifária A4 precisa apresentar uma geração solar fotovoltaica de no mínimo 50 MWh/ano, e a empresa vai registrar, com o projeto, 450 MWh/ano", afirmou o diretor da Alsol, Gustavo Malagoli Buiatti.

ECOD