domingo, 5 de janeiro de 2014

Calor do metrô vai aquecer casas em Londres e cortar 60% das emissões de carbono

É possível enxergar algo de positivo em praticamente tudo a nossa volta. Inclusive nos vagões lotados dos metrôs de todo o mundo. 

 metro-ecod.jpg
Projeto vai desviar o calor de um grande poço de ventilação para uma rede térmica
Foto: Kim + Chantelle

Prova disso é um projeto da prefeitura de Londres que vai utilizar o calor produzido no agitado metrô londrino para suprir a demanda de energia voltada ao aquecimento das residências.

A prefeitura da capital inglesa espera, com a iniciativa, não só reduzir a conta de energia, mas cortar as emissões de carbono da cidade em 60%, uma vez que ao invés de usar termelétricas a carvão, extremamente poluentes, a cidade aproveitará uma energia limpa e disponível por meio de vias subterrâneas.

O projeto vai desviar o calor de um grande poço de ventilação para uma rede térmica que se conecta a cerca de 500 casas. A ideia é aproveitar o calor gerado pelos passageiros, vagões e por outras máquinas para suprir a necessidade de aquecimento das residências durante os dias frios.

O plano nasceu de uma colaboração entre o prefeito da cidade, Boris Johnson, o Conselho de Islington e o Transport for London. "Nós precisamos fazer todo o possível para gerar energia de forma mais segura, rentável e sustentável. Ao apoiar a energia de origem local e redes de calor, podemos não só poupar dinheiro, mas também impulsionar a inovação, o emprego e o crescimento neste setor", destacou Matthew Pencharz, conselheiro sênior do prefeito sobre o meio ambiente e energia.

(ECOD)