quinta-feira, 16 de maio de 2013

Idosos têm risco 12 vezes maior de morrer de dengue



 
Um levantamento feito pelo Ministério da Saúde revelou que os idosos têm um risco 12 vezes maior que o restante da população de morrer em decorrência da dengue. A conclusão foi tirada de acordo com os óbitos registrados nos três primeiros meses de 2013.

No primeiro trimestre do ano, 132 pessoas morreram em todo o país com a doença, dos quais 42% tinham 60 anos ou mais. Tendo em vista a proporção de pessoas infectadas por faixa etária, isso significa que o risco de morte com a doença é 12 vezes maior entre os idosos.
O ministério não soube explicar precisamente por que o risco aumenta nessa faixa etária, mas acredita que possa haver relação com doenças crônicas que são mais comuns entre os mais idosos, como diabetes e hipertensão.
Surto – Nos três primeiros meses de 2013, o Brasil contabilizou 714.226 casos suspeitos. O número é bem maior do que o mesmo período nos anos anteriores. Em 2012, foram 190.294 notificações; em 2011, 344.715; e, em 2010, de 501.806.
Minas Gerais foi o estado com o maior número de infecções em 2013, com 152.230 casos notificados. Proporcionalmente, no entanto, o estado mais afetado foi Mato Grosso do Sul, onde foram registrados 3.105 casos para cada 100 mil habitantes.
A partir de 300 casos para cada 100 mil habitantes, o Ministério da Saúde já considera que a incidência de dengue é alta. A média nacional do primeiro trimestre de 2013 é de 368,2 casos para cada 100 mil habitantes.
Por conta disso, o Ministério da Saúde realizou nesta terça uma videoconferência com representantes de secretarias de saúde dos todos os estados do Nordeste e do Sudeste, além do Distrito Federal e do Paraná. A pasta reforçou o pedido para que moradores e autoridades locais combatam o mosquito Aedes aegypti, que transmite o vírus da doença. O combate pode ser feito com atos simples, principalmente com a eliminação de pontos de acúmulo de água parada. 

(Fonte: G1)