terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Dica de Leitura: Regras para uma arquitetura de baixo consumo energético

Para evitar o calor nos interiores, não se deve permitir que o sol penetre neles. As cores do exterior afetam o consumo energético.

Uma janela alta permite que a luz natural entre com maior profundidade em um ambiente. Os edifícios com grande massa termoacumuladora aquecem e esfriam lentamente, enquanto o contrário ocorre com os prédios leves.

101regras-ecod.jpg
A água armazena mais calor que o concreto. A massa termoacumuladora é o oposto do isolamento térmico… Entender como as edificações respondem a seus entornos pode nos ajudar a reduzir de forma significativa o consumo de energia com calefação, refrigeração e iluminação artificiais.


Isso é o que procura demonstrar o livro 101 regras básicas para uma arquitetura de baixo consumo energético, de Huw Heywood, cujo objetivo é otimizar o aproveitamento da energia natural na arquitetura e projetá-la de um modo direto e intuitivo, de acordo com os princípios do baixo consumo energético.

Em pré-venda no Brasil e editada pela Editora G. Gili (GG), a publicação trata-se de um guia fundamental e de fácil uso, repleto de bons conselhos e ilustrações reveladoras que nos permitem apostar na redução do consumo de energia com base nos princípios mais básicos.

Redução de energia


"É inegável que se consome energia na construção de edificações - por exemplo, na escavação mecânica de argila, no seu cozimento e no transporte dos tijolos resultantes ao canteiro de obras - e isso é um problema sério que deve ser enfrentado pelos designers. Contudo, a maior parte da energia consumida pelas edificações é durante sua vida útil. Assim, todos nós que contratamos, projetamos, administramos e ocupamos edificações temos um papel e uma responsabilidade importantes na redução de energia consumida durante a operação desses artefatos", justifica o prefácio da obra.


Huw Heywood é arquiteto. Com mais de vinte anos de prática em nível internacional, já trabalhou em projetos de escalas muito diferentes no Reino Unido, na Alemanha e na China. Atualmente é professor de graduação e pós-graduação na Escola de Arquitetura da Universidade de Portsmouth, onde tem focado na docência e na pesquisa sobre o urbanismo e a arquitetura sustentáveis.

O livro, que pode ser adquirido através da internet, custa R$ 59.

(Fonte: ECOD)