segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Vem aí o micromestrado

Lançado no ano passado, esse tipo de curso já faz sucesso e cresce nos EUA .


Agarwal, CEO da edX, e um engenheiro, avaliam curso do projeto.
O lançamento dos cursos chamados micromestrados, nos Estados Unidos, já começa a desenhar um novo modelo educacional e de negócios para as instituições de ensino que vai levar a um novo patamar os cursos online abertos (mooc, na sigla em inglês). A proposta é inverter a ordem tradicional da formação, oferecendo as aulas antes da matrícula: o aluno cursa a distância gratuitamente e, depois de estudar, se quiser, realiza os exames e, se aprovado, paga pela emissão do certificado e busca completar ou não o curso de forma convencional.

A novidade dos micromestrados, 19 programas lançados em conjunto setembro (embora alguns já existissem desde o final de 2015) por 14 instituições de ensino por meio do site de moocs edX (um consórcio iniciado por Harvard e MIT e que hoje conta com dezenas de instituições), é que eles avançam alguns passos no compromisso acadêmico dos moocs tradicionais: seus alunos, se optarem por fazer os exames e obter aprovação e o certificado (pago, porém com um preço bem inferior ao curso tradicional presencial), serão selecionados de acordo com a performance obtida, e terão os devidos créditos acadêmicos reconhecidos inclusive nos cursos presenciais convencionais. 

É possível assim reduzir de um quarto a metade do tempo e do custo de um curso de tradicional (um MBA, por exemplo) nas instituições que mantém essa modalidade pela edX. Os micromestrados já disponíveis são compostos por quatro a dez moocs. Cada módulo, se for solicitado o certificado, custa cerca de 150 dólares. Em média, um micromesrado completo custa cerca de mil dólares.

Os cursos focam formações específicas demandadas pelo mercado. O primeiro micromestrado lançado, por exemplo, foi o de extensão em Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos, pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), um programa com 5 módulos e duração de 12 semanas, com focos específicos da área: Análise, Fundamentos, Desenho, Dinâmica e Tecnologia. 

Outros exemplos de cursos disponíveis e que fazem essa "ponte" com o setor produtivo são o de Inteligência Artificial pela Columbia University, Direitos Humanos pela Curtin University, Gestão Baseada em Evidências, pela Australian National University, e os de Inovação Educacional e de Design pela University of Michigan (veja no final desta matéria a lista completa de micromestrados da edX).Desafio: a aceitação dos créditos

Desafio: aceitação dos créditos


{B8A51D35-6BC0-48AB-B268-81396B0428EB}_edX_Anant Agarwal_CEO_divulgacao_340_400.jpg

O maior desafio da edX agora tem sido estabelecer critérios que sejam acatados por todos os integrantes do consórcio para a aceitação de créditos de alunos formados por um outro integrante do grupo e, de preferência, por todas as instituições que estejam ou não no consórcio. "Acreditamos que o micromestrado começará uma nova tendência na academia, onde as pessoas o concluirão e serão capazes de encontrar caminhos ao crédito em várias universidades”, afirmou Anant Agarwal, CEO da edX (foto).

Na comparação com outras experiências recentes, os micromestrados tem sido animadores. Eles já registravam, em setembro deste ano, 27.000 alunos, dos quais 3.500 (13%) estão pagando para obter suas credenciais. Um resultado bem diferente, por exemplo, do obtido na Global Freshman Academy, iniciativa do ano passado da edX em conjunto com a Arizona State University, que gerou 34.086 alunos, dos quais apenas 323 (1%) foram aprovados no final e elegíveis para receber os créditos.

O projeto já despertou o interesse de empresas relevantes, que se fizeram presentes no lançamento, em setembro. Entre elas, a Wallmart, que tem interesse nos profissionais formados no micromestrado de logística do MIT e enviou um comunicado avaliando que o micromestrado é "uma forma poderosa das pessoas aprenderem as importantes habilidades necessárias para ser bem-sucedido". A Pearson, empresa da área educacional presente em todos os continentes, já adiantou que pretende disponibilizar seus espaços em vários países para eventuais encontros presenciais dos cursos.

Visite a página dos micromestrados da edX aqui.

Veja abaixo quais são os micromestrados já disponíveis na edX:


Australian National University (ANUx)


Columbia University (ColumbiaX)


Curtin University (CurtinX)


Galileo University (GalileoX)


The Hong Kong Polytechnic University (HKPolyUx)


Indian Institute of Management Bangalore (IIMBx)


Massachusetts Institute of Technology (MITx)


Polytechnic University of Valencia (UPValenciaX)


Rochester Institute of Technology (RITx)


Thunderbird School of Global Management, a unit of the Arizona State University Knowledge Enterprise (ThunderbirdX)


Université catholique de Louvain (LouvainX)



University of Michigan (MichiganX)


The University of Queensland, Australia (UQx)


Wageningen University (WageningenX)



(Fonte: Ache Seu Curso - Por Fábio Sanchez).