sábado, 7 de novembro de 2015

5 dicas para evitar o vazamento de fotos íntimas na Internet

Empresa de segurança lista alguns comportamentos e atitudes que ajudam a proteger seus conteúdos contra cibercriminosos.

As denúncias do chamado revenge porn (pornografia de vingança), compartilhamento de fotos e/ou vídeos íntimos sem consentimento, quadriplicaram nos últimos dois anos no Brasil.
Segundo a organização de defesa SaferNet, as denúncias desse tipo de crime no país subiram de 48, em 2012, para 224 no ano passado
Vale destacar que a maioria das vítimas desta modalidade de crime é do sexo feminino (81%) e uma em cada quatro tem idade inferior a 18 anos.
Pensando nesse número maior de casos, a empresa de segurança PSafe reuniu algumas dicas para ensinar aos usuários como proteger suas fotos e vídeos e fazer o máximo para evitar que elas caiam nas mãos erradas.
1-Não compartilhe suas senhas:
Sob o argumento de que se trata de um sinal de confiança mútua, muitos brasileiros compartilham suas senhas de redes sociais. Esse comportamento é arriscado e, no caso de rompimento no relacionamento, o acesso às mensagens privadas e fotos pode ser uma ameaça.
2-Crie senhas para seus apps
Outra medida importante para impedir que arquivos íntimos caiam nas mãos erradas é a criação de senhas para aplicativos. O PSafe Total Android, gratuito na Google Play, por exemplo, disponibiliza a ferramenta de Cofre, permitindo que usuários protejam galerias de fotos, Facebook, WhatsApp, Tinder, Grindr e outros apps.
3-Crie uma pasta separada da galeria de fotos
Ter fotos íntimas salvas no celular ou armazená-las em contas de e-mail pode facilitar o acesso por hackers que buscam por esse tipo de conteúdo para chantagear suas vítimas.  Para evitar esse risco, a melhor opção é armazenar suas fotos usando pastas separadas e com utilização de senhas.
4- Não faça cópias
Quanto mais versões de uma imagem você tiver, mais medidas de precaução terá de tomar para evitar vazamentos. Além disso, também é importante não mandar imagens por e-mail, mensagem de texto e/ou por comunicadores instantâneos (Facebook, Hangout, Skype, Whatsapp etc.)
5-Não armazene na nuvem
Em nenhuma hipótese, tenha esse tipo de arquivo na nuvem (Dropbox, Google Drive, Skydrive, iCloud etc.), pois esses dispositivos são alvos constantes dos hackers. Além disso, redobre a atenção para aplicativos que carregam automaticamente as fotos para a nuvem.
(Fonte: http://idgnow.com.br/)