sexta-feira, 10 de abril de 2015

Humanos viveram em florestas tropicais antes do que se imaginava

Os primeiros humanos modernos se adaptaram para viver nas florestas tropicais muito antes do que se acreditava, de acordo com uma análise feita em dentes com até 20 mil anos de idade, que sugerem que sua dieta era composta principalmente por alimentos típicos desses ambientes.


Uma equipe de pesquisa internacional lançou uma nova luz sobre os alimentos dos quais os primeiros humanos dependiam e situa o momento em que nossos ancestrais começaram a viver e a depender dos recursos das florestas tropicais 10 mil anos antes do que se pensava.

O estudo, publicado nesta quinta-feira no site da revista “Science”, foi feito com dentes fósseis de 26 indivíduos, o mais antigo de 20 mil anos, que viveram no Sri Lanka e nos quais foram analisados os isótopos de oxigênio e de carvão.

O resultado foi que “quase todos os dentes analisados sugerem uma dieta baseada, em grande parte, em produtos das florestas tropicais”.

Até agora, acreditava-se que os humanos não tinham ocupado essas regiões até o início da época conhecida como Holoceno inicial, há 8 mil anos, e, de acordo com as teorias dos especialistas, os humanos consideraram que a vida nessas florestas era mais difícil por haver menos comida e caça disponível que em espaços mais abertos.

O artigo de “Science” lembra que algumas pesquisas arqueológicas sugerem a possibilidade de os humanos terem ocupado esses ecossistemas há cerca de 45 mil anos, mas, nesse caso, não se pôde determinar se viviam nele ou se só entravam durante períodos limitados de tempo para desenvolver alguma atividade concreta.

Investigadores das universidades britânicas de Oxford e Bradford estudaram dentes fossilizados de 26 humanos, cuja idade oscilava entre 20 mil e 3 mil anos, todos eles encontrados em três sítios arqueológicos do Sri Lanka, que hoje em dia estão cercados por florestas tropicais e campos um pouco mais abertos.

As análises mostraram que todos eles tinham seguido uma dieta procedente de “florestas tropicais intermediárias” e que só dois mostravam em seus dentes os sinais de uma alimentação com produtos das pradarias.

O diretor do estudo, Patrick Roberts, da Universidade de Oxford, afirmou que seus resultados indicam que os “humanos evoluídos do Sri Lanka podiam viver quase que exclusivamente de comida encontrada na floresta tropical, sem a necessidade de se deslocar para outros ambientes. Nossos primeiros antepassados humanos eram claramente capazes de se adaptar com sucesso a diferentes ambientes extremos”.

Agora, os estudiosos consideram que é necessário seguir com as investigações para estabelecer se esse “profundo nível de interação” dos primeiros humanos com as florestas do Sul da Ásia aconteceu também em outras regiões, como a Austrália, o Sudeste asiático e a África.

 (Fonte: Terra)