domingo, 19 de abril de 2015

Cientistas testam pílula que prolongaria vida até 120 anos

Imagine poder adiar o envelhecimento e prolongar a vida até 120 anos. Parece ficção, mas é o que os cientistas da Universidade Estadual de Moscou, Rússia, estão testando.


Um novo tipo de antioxidante teria impacto sobre as mitocôndrias, parte das células responsável pela produção de energia e ligada ao envelhecimento. Os dados são do jornal Daily Mail.

Testes com a nova fórmula estão sendo realizados em ratos, peixes e cães. Até agora, os resultados não indicaram um aumento significativo no tempo de vida, apenas um atraso no início do envelhecimento. “Muitas doenças do envelhecimento se desenvolvem muito mais lentamente”, disse o pesquisador Maxim Skulachev.

“As mitocôndrias são responsabilizadas por ataques cardíacos e estão ligadas a doenças como Alzheimer e Parkinson”, explicou Skulachev. “Se verificar que as doenças se desenvolvem mais lentamente, a nossa ideia para combater o envelhecimento por meio da mitocôndria é o caminho certo. Será possível adiar a velhice”, completou.

O pesquisador enfatizou que não acredita em expectativa de vida muito maior, como 800 anos, por exemplo. “Muito provavelmente alguma nova doença vai surgir, vamos dizer que é uma doença típica dos 120 anos. Esse foi o caso do câncer, que era uma doença rara quando povos antigos morriam muito mais jovens.”

 (Fonte: Terra)