sábado, 28 de março de 2015

Cuba identifica variação do HIV que desenvolve aids mais rápido


Autoridades do setor da saúde de Cuba identificaram pacientes infectados com uma variação do vírus HIV que desenvolve a aids com mais rapidez. A informação foi divulgada pela TV estatal cubana.


Um estudo realizado no IPK (Instituto de Medicina Tropical Pedro Kourí), em Havana, revelou a diferença entre pacientes infectados com o HIV que demoravam entre oito e dez anos para desenvolver a doença, enquanto em outros o período era de apenas três anos.

A especialista do instituto, Vivian Kourí, explicou que foram estudados três grupos de pacientes e pela primeira vez foi encontrada a associação de uma variação do HIV que circula em Cuba, chamada CRF19, com rápida progressão da aids.

A pesquisa indica que essa variação do HIV é de origem africana, mas relativamente frequente em Cuba e predominante entre 17% e 19% dos pacientes.

Segundo a especialista, nenhum dos infectados com essa cepa ou as outras duas que circulam pela ilha foi associado a “uma resistência maior” ao tratamento com remédios retrovirais e todos tinham a mesma possibilidade de ter o tratamento efetivo.

No entanto, o anúncio pela televisão advertiu que o rápido desenvolvimento da aids desta variação do HIV “aumenta o risco” de os pacientes adoecerem inclusive antes de saber que estão infectados com o vírus.

Em Cuba, foram diagnosticados quase 22 mil casos de pessoas soropositivas desde o início da epidemia do HIV, em 1986, e mais de 18 mil vivem com a doença, de acordo com dados oficiais. 

(Fonte: UOL)