domingo, 5 de janeiro de 2014

Lágrima, uma mensagem sem cheiro

Neurocientista explica que secreção tem mensagens químicas absorvidas inconscientemente por outras pessoas.


Lágrima, qual é o teu segredo? O que significa a gota inodora que brota dos olhos não só em momentos de alegria e tristeza, mas também em situações mundanas como cortar cebola? Ela pode parecer elementar, mas a lágrima é um mistério que pesquisadores começam só agora a desvendar. O choro emocional sempre foi considerado um fenômeno apenas dos seres humanos, mas que contradizia o chamado "paradoxo de Darwin": não parecia ter nenhum objetivo funcional para o dia a dia. Nos últimos anos, porém, pesquisas mostram que as lágrimas carregam sinais químicos que influenciam a comunicação de maneira indelével. Como outros fluidos humanos, como o suor, que podem transmitir uma surpreendente gama de sinais emocionais, as lágrimas - mesmo inodoras - também são mensagens inconscientes.

- Quando choramos, enviamos vários sinais emotivos, codificados quimicamente no líquido - explica o neurocientista Noam Sobel, diretor do laboratório de Olfato do Instituto Weizmann de Ciência, em Rehovot, Sul de Israel. - Mesmo que não tenham cheiro, as lágrimas emitem agentes químicos que são imediatamente identificados por outras pessoas. Quer dizer: o olfato funciona mesmo quando não estamos cientes dele e não sentimos nenhum odor específico.

Pesquisadores há tempos tentam identificar a função social do choro. Em seu livro "A expressão de emoções no homem e nos animais", publicado em 1872, 13 anos depois do revolucionário "A Origem das espécies", o naturalista britânico Charles Darwin afirmou que todas demonstrações humanas de emoção têm alguma função prática. Todas, menos as lágrimas, as quais escaparam a seu entendimento. Na obra, o pai da Teoria da Evolução busca explicações para as expressões humanas traçando paralelos com animais. Por exemplo, quando um homem quer mostrar desprezo, nojo ou agressão em relação a outro, o canto de seu lábio superior acima do dente canino é levantado, assim como acontece com animais prestes a atacar.

Mas, quanto às lágrimas, Darwin se mostrou confuso. Tratava-se, para ele, apenas de uma ação com objetivo de "lubrificar a superfície do olho", "manter as narinas molhadas para que o ar inspirado se umidifique" e "evitar que partículas de poeira ou outros objetos diminutos entrem nos olhos". Mas, segundo William H. Frey II, professor do Departamento de Neurologia da Universidade de Minnesota e autor do livro "Chorando, o segredo das lágrimas", as lágrimas emocionais contêm 25% mais tipos de proteínas e têm quatro vezes mais potássio do que as lágrimas funcionais criadas pelo corpo apenas para limpar ou proteger os olhos. Elas também contêm hormônios adrenocorticotróficos (ACTH), emitidos em momentos de estresse.

Lágrimas "verdeiras" teriam função social, segundo o psicólogo e escritor americano Robert Provine, da Universidade de Maryland (EUA). Para Provine, mostrar uma emoção real teria sido benéfico para o ser humano para evitar ser enganado, já que se trata de algo difícil de imitar. Chorar seria, então, um ato social ligado à confiança nos outros.

Em 2011, uma pesquisa do Laboratório de Olfato do Instituto Weizmann surpreendeu ao conseguir provas de que as lágrimas podem enviar sinais químicos de um humano para outro. A conclusão mais incrível - baseada em extensa pesquisa - foi a de que o choro de mulheres pode ser interpretado pelos homens como a seguinte mensagem: "não estou interessada em sexo". Isso pode explicar porque mulheres choram mais durante o período menstrual. Em termos reprodutivos, não se trata de um momento propício para engravidar.

Para fazer o estudo, os pesquisadores israelenses publicaram um anúncio convocando pessoas que choram facilmente. Eles coletaram as lágrimas emocionais das mulheres voluntárias com um óculos especial e depois checaram o impacto químico delas em homens através de um algodão colocado abaixo das narinas deles. Ficou claro, depois de algumas checagens e do uso de placebo, que, ao invés de provocar a simpatia ou tristeza nos homens, as lágrimas emocionais provocavam queda de libido. Ao observarem fotos de mulheres depois de cheirarem as lágrimas, eles as julgaram menos atraentes sexualmente.

"Descobrimos que apenas cheirar as lágrimas inodoras emocionais obtidas das mulheres induz à redução de sex appeal atribuída por homens a retratos de rostos de mulheres", diz a conclusão da pesquisa em artigo publicado na revista 'Science'. "Mais ainda, depois de cheirar essas lágrimas, os homens experimentam uma excitação reduzida e níveis de testosterona reduzidos em 30%. Imagens de ressonância magnética provaram que cheirar lágrimas de mulheres reduz seletivamente a atividade cerebral relacionada à excitação sexual masculina".

- Esses resultados revelam que as lágrimas das mulheres contêm um sinal químico que reduz a excitação sexual dos homens. A lágrima, então, é um sinal emocional que tem uma função - explicou a pesquisadora Shani Gelstein, que dirigiu a pesquisa e atualmente estuda outros tipos de choro, como o infantil e o masculino.

(O Globo)