segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

"Colmeias urbanas" são cada vez mais comuns em telhados verdes de Nova York

Em meio as notícias de redução da população das abelhas no mundo, uma alternativa para reverter esse quadro está sendo utilizada nos telhados verdes de Nova York, a exemplo do edifício One Bryant Park, situado em Manhattan, que além das plantas no terraço possui uma criação de abelhas que produzem mel para os inquilinos do local.

74170.jpg
Quem teve a ideia de criar uma colmeia no edifício foi Richard Kohlbrecher. Ele observou abelhas na cobertura de um edifício e então se interessou pelo o assunto
Fotos: Demetrius Freeman/NYT

Quem teve a ideia de criar uma colmeia no edifício foi Richard Kohlbrecher, vice-presidente de operações da companhia Durst, que possui um escritório no local. Ele observou abelhas na cobertura de um edifício e então se interessou pelo assunto.

"Eu nunca tinha visto isso antes e a descoberta me fez pensar: se há muitas abelhas na região central, talvez faça sentido colocar algumas colmeias", lembrou Richard ao The New York Times.

74169.jpg

Atualmente ele cuida de uma colmeia de cerca de 100 mil abelhas europeias, que além de fornecer mel ajuda no processo de polinização natural, que mantém assim a área de cerca de 6 mil metros quadrados de plantas.

Outras características 'verdes' do edifício são um sistema de filtro de ar especial que elimina 95% das partículas em suspensão, uma sala de jardim urbano no lobby e o telhado verde, que utiliza resíduos da cafetaria do edifício como adubo.

Colmeias urbanas

A apicultura tem uma longa tradição em Nova York, e a tendência acelerou-se nos últimos três anos, desde que a administração do prefeito Giuliani acabou com a proibição das colmeias na cidade. Dessa forma elas se tornam cada vez mais comuns na metrópole.

Em Londres, capital da Inglaterra, o número de colmeias urbanas também explodiu nos últimos anos, a ponto de haver preocupação quanto a falta de jardins para alimentar todas as abelhas.

74168.jpg

Em Nova York, onde as abelhas ainda não correm o risco de enfrentar escassez de alimentos, qualquer pessoa pode manter uma colmeia, desde que com registro no Departamento Municipal de Saúde.

Embora os esforços de polinização das abelhas possam ajudar a manter a saúde dos telhados verdes, elas não são comumente utilizadas para este fim, principalmente por causa do medo de picadas. No entanto, as abelhas são inerentemente criaturas dóceis e, na verdade, morrem após picadas.
Como criar abelhas em casa
Dá para criar abelhas (e um bom estoque de mel) no conforto do seu lar. E sem picadas dolorosas. Faz bem para o planeta, que vai ganhar mais polinizadores, e faz bem para você, que ganha mel fresquinho. Acompanhe algumas dicas do permacultor responsável pelo Projeto Abelhas Urbanas, Marcos Ninguém, divulgada no Planeta Sustentável.
  • Escolha das abelhas
As mais indicadas são as melíponas, porque não têm ferrão. As apis (com ferrão) produzem muito mais mel, mas vão acabar picando você e incomodando seus vizinhos. Entre as melíponas, algumas das variedades mais indicadas são jataí, mandassaia, jandira, urussu ou jandaíra (que variam de acordo com a região do País).
  • O ambiente propício
As colônias para criação doméstica vêm dentro de uma caixa de madeira (20 cm de largura por 60 cm de altura). A caixa custa entre R$ 200 e 400 e você pode comprar em universidades, meliponários ou de alguém que já tenha uma caixa e esteja formando uma nova colônia.
  • Como funcionam as caixas
As caixas são divididas em três andares. Embaixo fica a entrada, com um buraco para que as abelhas possam ir e vir para fazer a polinização. E em cima ficam as melgueiras, com os potes de mel fresquinho, que as próprias abelhas fazem de cera. Já no meio ficam os discos de cria. É lá que elas se reproduzem e onde mora a rainha.
  • Alimentação
O mel é o alimento das abelhas em meses de escassez, frio ou seca. Por isso, é bom fornecer um pouco quando a colônia é nova, para dar uma força. Coloque duas tampas de garrafa com mel dentro da melgueira e apoie um palito de dente em cima. Assim, as abelhas têm onde se apoiar para pegar a comida, sem ficar grudadas.
  • Cuidados com a caixa
Não é só você que gosta de mel, as formigas também são vidradas. Por isso, deixe sua caixa em lugar alto. Ela pode ser pendurada como um vaso de planta ou ficar em cima de um suporte (passe graxa de motor na base para dificultar a subida das formigas). Vale ainda vedar cada um dos andares da caixa com fita adesiva, o que protege da água dos temporais.
  • A manutenção
A cada três meses, elas se reproduzem tanto que formam uma nova colônia. Para separar a caixa nova, você vai precisar da ajuda de um profissional. Ele vai separar os discos de ninho e encontrar a nova rainha. Na segunda vez, você pode fazer o processo sozinho.
  • Extração do mel
Ao pegar o mel nas melgueiras, use uma seringa e tome cuidado para não danificar os potes. Elas também se alimentam de mel, então divida a produção. Ao abrir a caixa, elas vão voar na sua direção: cuidado para não matá-las.

(ECOD)