sábado, 28 de dezembro de 2013

Designer cria fonte especial de caracteres para ajudar disléxicos

O designer holandês Christian Boer, dono do estúdio de criação Studiostudio, desenhou uma fonte de caracteres própria para melhorar a leitura de textos para pessoas com dislexia. A fonte anti-dislexia, chamada 'Dyslexie', combina uma série de características que endereçam problemas específicos de visualização, leitura, compreensão e memorização de textos encontrados em disléxicos.


Boer, que também tem dislexia, deixou de lado o padrão estético convencional que é adotado ao desenhar fontes de caracteres para torná-los uniformes e investiu na criação de um conjunto de letras que vai exatamente no sentido oposto, fazendo com que cada uma, de propósito, tenha características únicas e evitando, com isso que sejam confundidas umas com as outras. 

Uma pessoa disléxica tem dificuldade de leitura porque seu cérebro muitas vezes faz com que as letras "dancem" no texto, invertam sua posição, fiquem ao contrário ou girem. No uso de textos com fontes tradicionais, esses efeitos fazem com que o texto seja de difícil compreensão e que o esforço de leitura e memorização seja muito maior e exaustivo.

Ele considera que sua fonte é o resultado de uma combinação de desenho funcional para garantir a melhor leitura possível e escolhas estéticas que garantam um design agradável e bonito. As letras da Dyslexie têm, por exemplo, a base mais pesada que o topo, fazendo com que elas "assentem" na página e virem ao contrário.

As aberturas das letras também são maiores e uso de um design semiitálico dá a impressão de letras cursivas, evitando também que elas se pareçam umas com as outras.



A Dyslexie hoje é adotada por várias empresas na produção de livros, manuais técnicos, apps e outros tipos de textos. Há também um plugin para produtores de web sites que permite ao usuário mudar a fonte tradicional pela Dyslexie clicando em um botão no site. A fonte é comercializada através do site www.dyslexiefont.com.

Em 2012, uma pesquisa independente conduzida junto a 8 escolas e 250 usuários em casa e no trabalho demonstrou resultados positivos no desempenho da leitura e compreensão dos textos. No mesmo ano, a Universidade de Twente, na Holanda, conduziu outra pesquisa utilizando o "teste de leitura de um minuto" e obtendo notas mais altas de desempenho para textos produzidos com a Dyslexie.

A dislexia pode se manifestar de diferentes formas em crianças e adultos, que usualmente podem ser diagnosticadas em seis tipos de desordem de aprendizado: leitura de palavras, fluência da leitura, compreensão da leitura, expressão escrita, cálculo matemático, resolução de problemas de matemática.

A causa primária é uma disfunção do lado esquerdo do cérebro que é hereditária. Ela pode ser acompanhada de outras dificuldades como percepção de dimensões (distância, espaços, tamanhos e valores), distinção entre direita ou esquerda e no funcionamento do processo de memorização.

Atualmente, a dislexia tem ganho mais espaço na mídia e mais visibilidade junto a educadores e pais deixando de ser vista como uma deficiência para ser considerada como um jeito diferentes de pensar. Erroneamente associada unicamente a pessoas com déficit de atenção, ela tem custado a autoestima de crianças, adolescentes e adultos ao permanecer sem diagnóstico. Ela afeta várias celebridades, desde Einstein até Sir Richard Branson, que recentemente publicou em sua página no site da Virgin um comentário sobre a fonte.

Christian Boer apresentou sua fonte de caracteres durante o evento TEDx Dubai e você pode assistir sua apresentação no vídeo abaixo.



(IDGNOW)