segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Fóssil de nova espécie de ornitorrinco gigante é descoberto na Austrália

Cientistas acreditavam até recentemente que a linhagem do ornitorrinco era monotípica, com apenas uma espécie habitando a Terra em qualquer época.
Um estudo publicado nesta segunda-feira, porém, descreve uma nova espécie gigante de ornitorrinco – parte de uma ramificação da árvore à qual pertencem os animais desse gênero único entre os mamíferos. A descrição desse bicho extinto, publicada na revista especializada Journal of Vertebrate Paleontology, foi feita a partir de um único dente encontrado durante escavações na Austrália.

A nova espécie, denominada Obdurodon tharalkooschild (o atual ornitorrinco tem o nome científico de Ornithorhynchus anatinus), tinha todas as características peculiares desse animal: bico de pato, pelo de lontra, cauda e patas de castor, com fêmeas que põem ovos e machos com esporões venenosos. O dente singular que permitiu aos pesquisadores relatar a existência dessa espécie foi encontrado no sítio arqueológico de Riversleigh, em Queensland, na Austrália, onde já foram encontrados fósseis dos antepassados dos extintos lobo-da-tasmânia e tigre-da-tasmânia.

Com base no tamanho do dente, os cientistas estimam que essa espécie extinta teria quase um metro do comprimento, o dobro do tamanho do ornitorrinco moderno. Ela teria vivido há entre 5 e 15 milhões de anos, período estimado a partir de datação do depósito.

“A descoberta dessa nova espécie foi um choque para nós porque, antes disso, o registro fóssil sugeria que a árvore evolutiva dos ornitorrincos era relativamente linear”, afirmou Michael Archer, da Universidade de Nova Gales do Sul, um dos autores do estudo. “Agora percebemos que havia ramos colaterais não previstos nessa árvore, alguns dos quais se tornaram gigantes.”

Os fósseis mais antigos de ornitorrincos já encontrados foram escavados de rochas com 61 milhões de anos na América do Sul, e versões mais recentes têm sido descobertas na Austrália. Antes da descoberta do Obdurodon tharalkooschild, esses fósseis sugeriam que os ornitorrincos se tornaram menores e tiveram reduzido o tamanho de seus dentes ao longo do tempo. O mamífero moderno não conta com dentes quando adulto, e a descoberta evidencia uma linhagem diferente da proposta até então pelos cientistas. 

(Fonte: Terra)