quarta-feira, 26 de junho de 2013

Novo estudo restaura Archaeopteryx ao grupo das aves

Uma criatura do tamanho de um corvo que viveu há 150 milhões de anos voltou ao poleiro, de acordo com um novo estudo.

Considerado a primeira ave, o status do Archaeopteryx foi questionado há dois anos por cientistas chineses. Eles propuseram retirar a espécie pré-histórica do ramo das aves na linhagem evolutiva dos animais e colocá-la em uma linhagem próxima, a dos dinossauros parecidos com aves.

Mas agora uma equipe internacional liderada pelo Instituto Belga de Ciências Naturais afirma que o Archaeopteryx deve mesmo ser considerado uma ave.

O famoso fóssil foi descoberto em 1861 na Alemanha e logo se tornou um ícone da evolução. O Archaeopteryx possuía traços de pássaro e de réptil: tinha asas largas e penas como uma ave, mas patas com três garras, dentes afiadas e uma cauda longa como um dinossauro.


As descobertas de dinossauros plumados no nordeste da China nas últimas duas décadas colocaram em questão o lugar do Archaeopteryx na evolução dos pássaros.

A última prova que o Archaeopteryx tem mais a ver com aves do que dinossauros vem da descoberta de um fóssil intacto e bem preserva de uma espécie até então desconhecida de dinossauro, que foi chamada de Aurornis xui . O animal viveu na segunda metade do período Jurássico na província chinesa de Liaoning, onde muitos pássaros primitivos e dinossauros plumados conviviam.

O pesquisador belga Pascal Godefroit e sua equipe compararam a anatomia do dinossauro recém-descoberto a vários dinossauros e pássaros, para determinar seu parentesco. A análise, publicada na edição desta semana do periódico científico Nature, coloca o Archaeopteryx de volta à categoria de aves.

Lawrence Witmer, especialista na evolução dos pássaros da Ohio University que não esteve envolvido com a pesquisa, chamou o estudo de atraente, mas contemporizou dizendo que é muito difícil diferenciar todo esse trecho (aves e dinossauros plumados) da árvore genealógica dos animais.

“Todas estas espécies pequenas, correndo e agitando suas asas e penas, eram muito parecidas entre si,” explicou em entrevista à AP por e-mail.

 (Fonte: Portal iG)