domingo, 2 de junho de 2013

Empresa holandesa pretende lançar tintas à base de algas em 2014

A empresa holandesa de tintas AkzoNobel, cujas marcas incluem Dulux e Devoe, pretende reduzir a pegada ecológica de tintas, revestimentos e outros produtos em 30% até 2020, por meio da substituição de materiais à base de petróleo por biocombustível de algas.

capa-tinta-algas.jpg
Os produtos devem chegar às prateleiras em 2014 a preços competitivos
Foto: sxc.hu


A Solazyme já trabalhou com a Unilever para sabonetes e outros produtos de cuidados pessoais, e com a Dow Chemical Company, para fluidos dielétricos no mercado transformador
 
Os biocombustíveis e produtos químicos feitos a partir de algas são considerados mais sustentáveis em nível ambiental do que os combustíveis alternativos. As algas se desenvolvem de forma rápida e eficiente, sem a necessidade de terrenos agrícolas.

Para desenvolver óleos renováveis a partir de algas, a companhia fez parceria com a empresa de biotecnologia Solazyme. A previsão é de começar os trabalhos ainda no segundo semestre de 2013.

Além de reduzir a pegada de carbono, a empresa pretende, com a nova tecnologia, ampliar em 20% as receitas totais dos seus produtos eco-premium, que atualmente chegam a 11%.

Segundo o site Business Green, toda a alga sustentável vai ser disponibilizada pela fábrica Solazyme do Brasil chamada de Bunge Renewable Oils Joint Venture, que fica no interior de São Paulo.

Os produtos pretendem chegar às prateleiras em 2014. De acordo com a empresa, eles terão preços competitivos.

(ECOD)