domingo, 27 de janeiro de 2013

Adesão da Plataforma Internacional de Biodiversidade é oficializada no Brasil


O Brasil, país com a maior diversidade biológica do planeta, assinou oficialmente sua adesão à Plataforma Internacional de Informações sobre Biodiversidade (GBIF, na sigla em inglês), considerada a maior iniciativa mundial de dados com acesso livre sobre biodiversidade na internet.
gbif.jpg
Plataforma comemora adesão brasileira - Foto: reprodução/GBIF 


A adesão inclui o país em uma comunidade global que compartilha ferramentas, competências e experiências relacionadas com a gestão dos recursos de informações biológicas. “Muitos países enxergam a participação do Brasil na GBIF como vital para os esforços globais de conservação e gestão da biodiversidade”, afirmou ao MCTI a presidenta do Conselho de Administração da plataforma internacional, Joanne Daly.

Segundo ela, além do potencial biológico existente no país, o Brasil possui alguns " dos profissionais mais ativos na ciência da biodiversidade”, que contribuem extensamente para o avanço da área globalmente.

A organização Global Biodiversity Information Facility (GBIF) foi criada pelos governos em 2001 para incentivar o acesso livre e aberto aos dados da biodiversidade pela internet. Por meio de uma rede global de 58 países e 46 organizações, a GBIF promove e facilita a mobilização, o acesso, a descoberta e o uso de informações sobre a ocorrência de organismos ao longo do tempo e em todo o planeta. Atualmente, mais de 388 milhões de registros, de mais de 10 mil conjuntos de dados provenientes de 422 instituições, são publicados pela rede GBIF.

Acesso

Mesmo antes da adesão formal do Brasil à GBIF, mais de 1,6 milhão de registros relativos à biodiversidade nacional estavam disponíveis na plataforma, oriundos de mais de 700 conjuntos de dados mantidos em 28 países.

De um modo geral, os cientistas brasileiros já conhecem a plataforma. Prova disso é que ao menos 18 estudos de autores brasileiros publicados nos últimos três anos, revisados por pares, citaram o uso de dados mediados pela GBIF. Ao redor do globo, em torno de quatro artigos revisados por pares são publicados semanalmente com dados acessados através da rede GBIF.

A América Latina já era representada na rede por nove países, entre eles Argentina, Colômbia e Nicarágua.


(ECOD)