domingo, 12 de julho de 2015

Primeiro ônibus do Brasil abastecido com dejetos de aves é apresentado

O primeiro ônibus movido a biometano da história da indústria de veículos comerciais começou a circular recentemente no Brasil. 

onibus-scania-biometano-ecod.jpg
O ônibus seguirá para os estados do Rio Grande do Sul, São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro para mostrar a aplicação da tecnologia em rotas urbanas
Fotos: Divulgação/Scania


A iniciativa é fruto de parceria da fabricante sueca Scania com a Itaipu Binacional, o Centro Internacional de Energias Renováveis-Biogás (CIBiogás-ER), a Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI) e a Granja Haacke, de Santa Helena (PR), responsável pelo fornecimento do biometano.

Produzido a partir de dejetos de aves poedeiras, o gás é filtrado e envasado, antes de ser transportado para Foz do Iguaçu, primeira cidade onde o ônibus foi utilizado em demonstração.

“Fabricado na Suécia, o veículo atende à normativa Euro 6 e é considerado um dos mais modernos do transporte público do mundo, com motor dedicado ao uso tanto do com gás natural veicular (GNV) quanto do biometano como combustível. Ele emite 70% menos poluentes que um similar a diesel”, explica Silvio Munhoz, diretor de Vendas de Ônibus da Scania no Brasil.

onibus-scania-biometano-3-ecod.jpg
Produzido a partir de dejetos de aves poedeiras, o gás é filtrado e envasado

Depois de Itaipu, onde fez o transporte de funcionários e estudantes de 31 de outubro a 26 de novembro abastecido apenas com biometano, o ônibus seguirá para os estados do Rio Grande do Sul, São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro para mostrar a aplicação da tecnologia tanto em rotas urbanas, quanto em fretamento e transporte intermunicipal.

O ônibus tem 15 metros de comprimento, com dois eixos direcionais e capacidade para até 120 passageiros.

“A partir do início de dezembro o veículo já começa a demonstração no Rio Grande do Sul. Estamos recebendo consultas de outras cidades interessadas em conhecer a tecnologia”, diz Munhoz. “O mais importante é perceber que ela é 100% viável para comercialização.”

Parceria

Segundo o superintendente de Energias Renováveis de Itaipu, Cícero Bley Júnior, que também preside a Associação Brasileira de Biogás, o objetivo da parceria é demonstrar a viabilidade da aplicação do biometano na mobilidade urbana, para que ele possa ser integrado à matriz de combustíveis do País. A Agência Nacional do Petróleo (ANP) está com uma consulta pública aberta para regulamentar o uso do combustível.

“Estamos satisfeitos com os resultados que obtivemos na demonstração do ônibus da Scania em Itaipu. Ele superou nossas expectativas”, diz Bley. “Acreditamos na viabilidade do biometano e estamos iniciando um novo período na busca de alternativas mais sustentáveis ao meio ambiente.”

onibus-scania-biometano-4-ecod.jpg

Munhoz conta que os 3 mil quilômetros que o ônibus percorreu dentro de Itaipu comprovaram os benefícios do uso do combustível renovável. “Em relação ao preço por quilometragem, o custo do biometano é menor em 56% ante um veículo similar a diesel”, revela.

Segundo Bley, a demonstração do ônibus da Scania em Itaipu provou que o biometano é o combustível ideal para promover a mobilidade sustentável. “A partir de um problema das cidades – a gestão de resíduos – encontra-se uma solução economicamente viável para qualquer centro urbano de nosso país”, ressalta.

Tecnologia

O ônibus Scania tem 15 metros de comprimento, com dois eixos direcionais e capacidade para até 120 passageiros. As características do motor Scania Euro 6 a gás permitem que o veículo rode não só com biometano, mas também com gás natural ou a combinação de ambos.

onibus-scania-biometano-2-ecod.jpg

Antes de chegar ao Brasil, o ônibus Scania passou pelo México e pela Colômbia, sempre abastecido com GNV. Em Bogotá, foi testado em condições extremas: altitude elevada, baixa pressão atmosférica, tráfego pesado e ladeiras.

Responsável por conduzir o ônibus no giro pela América, Miguel Morales Gomes, master driver da Scania, disse que não notou diferença de desempenho do veículo abastecido com biometano ou com o GNV convencional, derivado do petróleo. “A diferença é zero tanto em topografias de subidas quanto de descidas. Foram feitos testes em diversas condições, justamente para provar que a performance desse ônibus Scania movido a biometano é ótima”, afirma.

(FONTE: ECOD)