domingo, 13 de outubro de 2013

O que fazer com os chamados nódulos de tensão?

Estresse dói! Quem passa por tensões diárias e nunca sofreu com àquela dorzinha no ombro ou nas costas pode ser considerada uma pessoa sortuda. 

stresse-cinco.jpg
Tensão muscular causa dor crônica
Foto: Anusska

Chateações em casa ou no trabalho, "sapos" engolidos, ansiedade, violência, medo de perder o emprego, pavor de engordar, receio de não dar conta da agenda apertada... Esses são alguns dos motivos para a dor crônica pelo corpo, com o aparecimento de nódulos de tensão, também conhecidos como pontos-gatilho.

Um sintoma comum é a tensão e contração contínuas dos músculos que circundam o pescoço, além do trapézio e do peitoral menor. Os fatores causam pontos de dor, onde formam couraças (parecem nódulos, pequenas bolas) que quando apertadas vão estar doloridas.

 A especialista em eutonia, uma técnica que melhora a consciência corporal, Maria Thereza Bortolo, explica que a tensão muscular é um indicador de estresse físico e emocional. "A rigidez dos músculos causa dor porque na área contraída a circulação do sangue fica mais difícil e a oxigenação dos tecidos é prejudicada, impedindo a eliminação de toxinas. O incômodo é pior se a tensão no local chega a comprimir os nervos", destaca a especialista à revista Viva Saúde.

Também são sintomas do estresse ombros elevados e rotados para dentro, cabeça ligeiramente projetada para frente e tronco mais encurvado para frente também, a respiração tende a ser encurtada com pouco movimento da caixa torácica e as costelas não se mexem ao respirar.

Existem alguns mecanismos para minimizar as dores. Conheça:

estresse-seis.jpg
Inspirar e expirar formam o princípio básico da vitalidade
Foto: Lluviavigo

1. Respire!

Respirar não quer dizer apenas fazer o oxigênio entrar. Inspirar e expirar formam o princípio básico da vitalidade. Segundo o biólogo Gabriel Mendes, especializado em técnicas respiratórias, é necessário aprender a respirar. Para essa "alfabetização", ele recomenda meditação, ioga, atividade física regular e alimentação saudável. "Tais cuidados ajudam a melhorar a postura e aliviar o estresse no cotidiano", frisa Mendes ao portal PUC-Rio.

estresse-quatro.jpg
Manter os ombros relaxados durante as atividades é essencial
Foto: Sxc.hu

2. Ombros relaxados

Aprender a manter os ombros relaxados ao executar atividades com os braços é essencial. Isso inclui o fortalecimento dos membros, pois quando estão fracos, fazem com que todo o corpo tensione tentando ajudar, segundo o portal Tati Pilates.

estresse-tres-ecod.jpg
É necessário desfazer os nódulos de tensão
Foto: -hndrk-

3. Eliminar os pontos doloridos

Eis que surge o principal momento de dor. É necessário um trabalho para tirar os pontos doloridos e duros do músculo. Para isso existe a massagem, acupuntura e a Terapia CranioSacral - uma atitude de suave contacto com o paciente. O terapeuta acredita que todo ser humano possui um enorme potencial de transformação e de cura, que basta ser mobilizado para agir com grande eficácia.

Caso a dor esteja muito intensa, uma compressa de gelo por uns 15 minutos pode aliviar as dores. Se persistir, procure um médico ortopedista.

estresse-dois.jpg
Perceba as reações do seus corpo durante atividades que fogem da zona de conforto
Foto: Sxc.hu

4. Perceba seu corpo

Perceba como o seu corpo reage com o trabalho, as discussões no lar, situações como estar atrasado, ter prazo para terminar um trabalho, estudar para uma prova, ou qualquer outra coisa que não seja naturalmente fácil e agradável. Sinta o seu corpo se comprimir e tensionar e tente mudar.

estresse-um-ecod.jpg
Mantenha o equilíbrio
Foto: Sxc.hu

5. Tenha disciplina

Após começar as aulas de pilates ou yoga, por exemplo, continue prestando atenção em seu corpo diariamente. Se você apenas praticar a correção de postura nas aulas, a transformação e transferência do novo movimento para as atividades diárias vai demorar muito mais tempo.

(ECOD)